3

Memórias do Heavy Metal - Mustaine

Dave Mustaine é conhecido no mundo do rock como um guitarrista trash, polêmico e intenso. Começou sua carreira no Metallica, mas, devidos à surtos psicóticos constantes, causados por excesso de drogas e álcool, foi expulso da banda por volta de 1983, ocasião que o cantor compôs "Set the World Afire". Furioso com os colegas da banda, indignado por o terem colocado bêbado em um ônibus e o despachado para o outro lado do país, Dave, motivado pela promessa de vingar-se da Metallica, cria, nada menos, que a banda de trash metal Megadeth, em 1985.

Sim, há quem diga que ele realmente cumpriu sua promessa, eu, particularmente, sou suspeita de mais para fazer tal avaliação (já que Metallica é a melhor banda de todos os tempos), apesar de curtir, e muito, o som de Dave e seus companheiros. O relacionamento de Mustaine com o restante do grupo nunca foi muito bom. Ele sofria de ataques de overdose e foi motivo de polícia muitas vezes por isso. Um dia a polícia o prendeu por um motivo grave, oito tipos de drogas injetáveis distintas. Após esse dia ele teve que ser internado em uma clínica de reabilitação.

Em 2009 o mundo do rock parou diante da turnê "The Big Four" que uniu as quatro bandas ícones do Trash Metal, Metallica, Megadeth, Slyer e Antrax. A turnê foi sucesso absoluto e caracteriza o perdão de Dave ao Metallica. 

Com tanta história para contar, a vida de Dave só poderia resultar em uma autobiografia, aparentemente bem sucedida, em que todos os detalhes, até os mais sórdidos, foram retratados. O livro foi lançado na América em 2010, mas, desde 16 de setembro, já está em nossas livrarias. Mustaine - Memórias do Heavy Metal, foi escrito por ele mesmo, com ajuda do jornalista Joe Layden. O livro é polêmico e aberto, com revelações bizarras, intensas e realmente intimidadoras que nos fazem ter uma visão diferente da que estamos acostumados referente a Dave. Hoje, cristão, não menos polêmico, reabilitado, Dave ainda mostra um talento exuberante nos palcos emocionando com a arte que dedilha de sua guitarra.

Clique aqui e adquira o livro.

3 comentários:

  1. Minha nossa, quantos erros de concordância e de português,...matériazinha fraca, hein Marcela !!! Ès mesmo jornalista ou apenas gosta de se aventurar pela "mídia" digital ???

    ResponderExcluir
  2. Marcela Melo,...poderia ao menos escrever corretamente, por exemplo : Thrash ( e não "lixo" conforme a tradução da palavra que você digitou ), " de mais ", entre outros errinhos aqui e ali que revelam o fato de você sequer ter feito Jornalismo para aventura-se por mídias digitais. Conselho de um futuro amigo ok ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega. Não sei se irá ver esta mensagem, mas foi o único meio que vi possível te contatar depois dos comentários grosseiros no meu blog. Eu sempre acolhi de braços abertos quaisquer críticas, mas creio que educação é um ponto crucial, seja pelo que for. Claro que reli o texto em questão para averiguar se há mesmo tantos erros como citado, mas, particularmente, discordei de tal.
      Não sei o que te levou a pensar que eu sou jornalista. Não o sou. Apenas gosto de compartilhar minhas ideias em um espaço que não exige tal graduação para isso. Pelo contrário, minha profissão nada tem a ver com jornalismo ou afim. E, se mal mal sei falar/escrever português, menos ainda me adapto ao inglês, no entanto alguns erros de tradução ou concordância não torna o texto uma "materiazinha fraca" como citado. Não sei porque se deu o trabalho de um comentário tão áspero, não sei em que o texto lhe ofendeu a ponto de por teu dedo, convencida, de especialista, em riste.
      no mais, agradeço pelo crítica, elas me aguçam a melhorar sempre.

      Excluir

É um prazer tê-lo (a) aqui.
Obrigada pela opinião e volte sempre.